Pesquisadores e autoridades durante a solenidade de apresentação do Cempa

UFG e Governo de Goiás apresentam proposta de criação de Centro de Estudos

Autoridades e representantes da comunidade científica conheceram a proposta em solenidade nesta sexta-feira (21/2), no Palácio Pedro Ludovico Teixeira

Texto: Ana Paula Vieira

Fotos: Carlos Siqueira

Em solenidade na manhã dessa sexta-feira (21/2), a UFG e o Governo do Estado de Goiás apresentaram a proposta de criação do Centro de Estudos, Monitoramento e Previsão Ambientais do Cerrado (Cempa). O laboratório objetiva realizar estudos utilizando modelagem numérica e dados de satélite permitindo gerar com precisão e nível inéditos a previsão do tempo para toda a região Centro-Oeste (intervalos de 5 a 10 dias), cenários climáticos e modelos de produção agro climáticos, entre outros produtos. O Centro pretende reunir academia, governo e entes privados buscando soluções para o desenvolvimento sustentável do estado por meio de tecnologias, serviços e políticas públicas.

A cerimônia de apresentação, realizada no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, contou com a presença do reitor da UFG, Edward Madureira, do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, de representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Informação e Comunicações e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), de autoridades do estado, da comunidade da UFG e de diversas instituições de ensino locais.

Os pesquisadores do Inpe Saulo Ribeiro de Freitas e Karla Longo falaram sobre a iniciativa e a proposta de estudos e ações do Cempa. Segundo o reitor Edward Madureira, a ideia é montar um Centro suprainstitucional que envolva também o governo do estado, a UFG, secretarias, setor produtivo, entre outros parceiros. O reitor também falou sobre a importância do Cempa: "A partir desse trabalho, teremos o clima como nosso aliado e não como adversário. Podemos começar algo inédito aqui em Goiás, que eu não tenho dúvida, servirá de exemplo para todo o País".

O governador Ronaldo Caiado afirmou que fez questão de promover a audiência, enaltecendo a necessidade de o governo interagir diretamente com a academia para que os resultados das pesquisas possam ser passados para os cidadãos. "Tenho um interesse especial porque acredito que é com a ciência que vamos poder avançar, preservando nossos mananciais mas também trazendo benefícios", projetou Ronaldo Caiado.

Pesquisadores e autoridades da UFG e do estado de Goiás na apresentação do Cempa
Governador Ronaldo Caiado ao lado da vice-reitora Sandramara Matias, do reitor Edward Madureira
e do pró-reitor de pós-graduação Laerte Guimarães, durante apresentação do Cempa

 

Parcerias
A reunião contou com a presença de representantes de diversas instituições e segmentos do estado. A secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento de Goiás, Andréa Vulcanis, afirmou que Goiás conta com um Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas que gera politicas públicas que permitem uma atuação mais direta do estado. “Produzimos muita informação para o setor econômico. Só tenho a louvar essa iniciativa porque essas informações são fundamentais”, analisou a secretaria.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, parabenizou a iniciativa: “Nós certamente teremos muito aproveitamento de todas as informações que serão trabalhadas. Com certeza Goiás vai ganhar muito”.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento e Inovação de Goiás, Adriano Rocha Lima, a proposta de criação do Cempa é muito positiva pela possibilidade de se fazer um trabalho integrado. “Quando temos esse tipo de esforço da academia, trazendo dados e facilitando as decisões, estamos muito a frente”, enfatizou Lima.

A Diretora do Departamento de Infraestrutura de Pesquisa e Políticas de Formação e Educação em Ciência do Ministério da Ciência, Tecnologia, Informação e Comunicações (MCTIC,) Maria Zaira Turchi, representou o Secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do MCTIC, Marcelo Marcos Morales. “Gostaria de parabenizar a UFG pela liderança nessa propositura e todos os parceiros que vêm e respondem positivamente. Será importante para Goiás e para o Centro-Oeste, pois é um projeto que tem perspectiva de ousadia”, afirmou a diretora.

A pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC), Milca Severino Pereira, enfatizou a relevância do momento para o estado: “Estou extremamente segura de que este é o caminho adequado para o nosso estado. Goiás sairá na frente com um projeto dessa natureza, que defende o uso de novas tecnologias e da ciência em prol da qualidade de vida”.

Apresentação do Cempa
Representantes de diversas instituições e da comunidade científica participam da solenidade

 

O Cempa
Segundo o pesquisador Saulo Ribeiro de Freitas, um dos responsáveis pela iniciativa de proposição do Cempa, o objetivo é concentrar expertises, visando ao desenvolvimento sustentável do estado, para gerações presentes e futuras. Freitas explica que o trabalho do Cempa envolve a pesquisa sobre monitoramento e previsão ambiental para o cerrado; a otimização da produção agropecuária, a identificação de oportunidades de produção de energia solar e eólica, a mitigação de queimadas e seus impactos socioeconômicos e a promoção do turismo sustentável.

Em sua apresentação, Saulo falou sobre novas tecnologias e métodos aplicados para a previsão ambiental, entre elas o uso de computadores de alto desempenho, área do professor Jairo Panetta, um dos integrantes do projeto. Jairo explica sobre a agilidade proporcionada por essa tecnologia: “Não adianta demorar 24h pra fazer a previsão de 12h”. Sobre a parceria, ele completa: “Não tenho dúvidas da possibilidade de se conseguir uma previsão mais detalhada e acurada para o estado, com qualidade. Assim, é possível fazer uma avaliação de longo prazo sobre mudança de clima e se antecipar com politicas de mitigação. O principal aspecto é desenvolver e gerar conhecimento local, fruto de monitoramento e estudo”.

Pesquisadores falam sobre o Cempa
Pesquisadores falam sobre as propostas de estudos e ações do Cempa

 

A pesquisadora Karla Longo destacou outro fator contemplado pelo Cempa: “Também nos preocupamos com a formação de pessoal no estado para a continuidade do trabalho a longo prazo”.

Ao final da solenidade, o reitor Edward Madureira analisou: “Vejo uma conjunção de oportunidades. Com a capacidade intelectual e a infraestrutura instalada nas diversas instituições, temos condições de resolver qualquer problema, pois estamos construindo no âmbito dessas instituições um espírito de colaboração”.

Pesquisadores e autoridades durante a solenidade de apresentação do Cempa
Pesquisadores e autoridades durante a solenidade de apresentação do Cempa

 

Veja a galeria de fotos do evento no link a seguir: https://bit.ly/2SOfNVq

Fonte: Reitoria Digital

Categorias: Notícias